Protetor Solar Vs. Vitamina D



Vem chegando o verão e, com ele, um dilema bastante comum: afinal, o protetor solar inibe a produção de Vitamina D?


As respostas acadêmicas para essa questão são bastante controversas. Segundo a médica dermatologista Cristina Bergamaschi, a tendência é que o protetor solar não impeça a produção do hormônio D3, conhecido popularmente como Vitamina D, desde que a pessoa se exponha ao sol por tempo suficiente:


“Recomendamos que não se pegue sol sem a proteção solar. Vai depender muito do tempo e se é uma pele clara ou escura. A pele clara precisa de 15 min de exposição, a pele escura de uns 30 min, dependendo muito do nível de vitamina D que o paciente tem. Por isso, é bem importante uma avaliação médica antes para dosar os níveis sanguíneos” - alerta

A importância da Vitamina D

O hormônio D3 é reconhecido por sua importância na regulação diversos sistemas do metabolismo humano:


É associado à manutenção do tecido ósseo, além de atuar como regulador na fase de crescimento e nos sistemas imunológico, cardiovascular, muscular e na produção de insulina. Pesquisas recentes indicam que a falta de vitamina D também está associada a maior incidência de depressão.


Mas a verdade é que vivemos tempos difíceis para a absorção da Vitamina D. Mesmo antes do isolamento social, muitas pessoas já tinham dificuldade em absorver as doses diárias recomendadas, devido às rotinas de trabalho em lugares fechados. Os médicos chegam a se referir a uma “epidemia de falta de Vitamina D”.


Por esse motivo, já existem diversas soluções para repor a substância em pacientes com carência de Vitamina D. O tratamento se dá pela introdução de cápsulas oleosas de hormônio D3 e pela dieta com alimentos ricos nesta “vitamina”, que são capazes de repor apenas 20% da quantidade demanda pelo organismo.


Quando usar o protetor solar?

A superexposição ao sol é a causa da doença mais séria conhecida pela dermatologia, o câncer de pele.


Tanto o carcinoma basocelular, quanto o melanoma, tipo mais agressivo da doença, são provocados pela incidência de radiação solar sobre a pele. Nesse caso, não importa a estação: Para evitar o câncer de pele e outros malefícios estéticos causados pela luz solar, e também para tratar a doença, o uso do protetor solar é indispensável.


A regra do protetor é válida para quando você vai passar o dia na praia ou ficará muitas horas na rua, caminhando sob o sol, principalmente nos horários de sol mais forte.

Em caso contrário, para ficar dentro de casa, ou no escritório, com uma exposição muito rápida apenas no caminho entre esses ambientes, não é necessário passar o protetor.


Exposições rápidas ao sol da manhã, sem protetor, são permitidas para pacientes com pele saudável.


Responsável técnico: Cristina Bergamaschi (CRM: 31.408)


  • Favicon-01
  • Prancheta_1_cópia_2x
  • Prancheta 1_2x
  • whats-02
  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Facebook Ícone